DIKSHA INICIAÇÕES

Conheça Filosofia Indiana Diksha Iniciações

Nosso principal objetivo é o de oferecer a transmissão de conhecimentos e práticas transcendentais da filosofia indiana do Tantra e do Yoga. Esta transmissão, segundo os diferentes Tantras, é chamada Diksha, geralmente traduzida como “Iniciação formal”, ou ainda, como consagração ou preparação para cerimonia mística ou religiosa.

 

A palavra deriva-se dos termos sânscritos dā (“dar”) mais ki (“destruir”) ou, alternativamente, a partir da raiz do verbo dīk (“consagrar”). Mas também pode ser entendida como “aquilo que destrói a ilusão e revela a divindade interior”. A experiência de iniciação é relatada em diferentes textos considerados sagrados, não apenas no universo do tantrismo, como também no Budismo, Jainismo, Vaishnavismo etc. Acredita-se que durante o Ritual de Iniciação, a mente do neófito e do Mestre tornam-se uma só, e que pela aproximação de Guru e discípulo, o fenômeno do despertar de Kundalini, a força divina que confere a liberação espiritual, aconteça de maneira espontânea e natural.

 

Esta noção e fé possibilitaram um sem número de especulações, charlatanismos e abusos. De fato, a força vital e a bioenergia respondem à presença de outra fonte de vigor e vitalidade. Não se pode negar o fenômeno da expansão e alteração da consciência por simpatia vital ou prânica. Porém, quando o discurso de despertar por aproximação é supervalorizado, apresentado como a própria iniciação, o que ocorre é a manipulação por parte de indivíduos sedentos das riquezas alheias e de culto à personalidade. Por força de sugestão, o fenômeno é teatralizado e nenhum auxílio espiritual é compartilhado verdadeiramente.

 

Os textos tântricos descrevem diferentes meios de Iniciação, e de maneira diversificada também o tema é compreendido e aplicado pelas diferentes tradições e religiões orientais. Algumas iniciações dão-se através do olhar – Drik Diksha, por toque – Kripá Diksha ou Shakti Pat, através da mente ou dos sonhos – Mano Diksha, através de palavra ou Mantra – Vag Diksha, e ainda existem iniciações que envolvem votos monásticos, renúncia aos bens materiais – Sannyas, celibato – Brahmacharya, batismo, sacrifícios etc.

 

Quando analisamos a cultura Tântrica detalhadamente, podemos confirmar que esta é uma escola de mistérios, que pouca informação nos é oferecida teoricamente, e que mesmo os sutras, shastras e textos considerados autênticos são escritos de maneira hermética e simbólica. Logo, o Tantra é uma escola espiritual iniciática. E é justamente a iniciação que confere as chaves de interpretação de sua doutrina, bem como o corpo de práticas inerentes a esta escola. Somente ao se passar pela Diksha, pode o postulante ser admitido dentro da família de Yogues ou Kula.

 

A Iniciação é um momento sagrado e de intenso significado, pois a partir de sua realização, o Sadhaka ou Sadhika (“aspirante à perfeição de ambos os sexos”) pode assumir o Tantra e a Kula (“família”) que o representa em seu coração, e assim deixar-se conduzir pela voz interna revelada pelo processo de sensibilização dos sentidos e da mente e pelo Sadhana (“disciplina espiritual”) comum a todos os integrantes da Kula. A Iniciação é, portanto, um Ritual pedagógico e espiritual de transmissão de saber e técnica transcendentes, bem como um rito de admissão espiritual.

 

Podemos dizer que o Diksha trata-se de um rito de passagem, de incursão nas esferas internas e subjetivas, de trânsito místico entre o limiar da vida e da morte. Segundo algumas escolas do Tantra, um indivíduo que não tenha passado pelo fogo da iniciação deve ser considerado como um Pashu ou seja, um “animal”, uma “besta”, uma “fera”. E a Iniciação é justamente aquilo que corta os liames do mau Karma e confere Divinização ou Revelação Interior.

 

Para além das especulações de ordem transcendente, e das afirmações carregadas de misticismo, nós do Tara Devi Kula, nos comprometemos a transmitir a alma dos ensinamentos e práticas do Sahaja Tantra Yoga. Atendemos tanto individualmente, como a casais, grupos, e ordens espirituais decididas a aprofundar seus conhecimentos acerca do Tantra.

 

Nossa orientação filosófica é o Sahaja, palavra sânscrita que significa “espontaneidade”, “naturalidade”. Nossa Iniciação completa aborda os princípios filosóficos e místicos do Vama Marga Tantra (a via da esquerda), Dakshina Marga Tantra (a via da direita), Kaula Marga Tantra (a via de síntese), e alguns exercícios do Mantrayana (Tantra Budista).

 

Transmitimos as diferentes abordagens e práxis Tântricas e não fomentamos de modo algum culto à personalidade ou mistificação infundada.

 

Buscamos apenas oferecer ferramentas que possibilitem ao indivíduo autonomia e verdadeiro autoconhecimento. Para tanto, nos servimos das técnicas de Mantra, Yantra, Vikalpa, Sankalpa, Matrika Nyasa, entre outras.

 

Nas palavras de Hermann Hesse, que traduzem perfeitamente nossos objetivos e o significado da Iniciação para nossa escola:

 

“Nada lhe posso dar que já não exista em você mesmo. Não posso abrir-lhe outro mundo de imagens, além daquele que há em sua própria alma. Nada lhe posso dar a não ser a oportunidade, o impulso, a chave. Eu o ajudarei a tornar visível o seu próprio mundo, e isso é tudo.”

Escola filosófica de Estudo e Terapias Tantra
Valid XHTML 1.0 Transitional
Desenvolvimento de Websites!